Ponte ligando Centro Histórico à Ilha das Cobras é uma idéia excelente, mas precisa de luz e segurança!

Há alguns dias, fui conhecer a nova ponte flutuante que liga o Centro Histórico à Ilha das Cobras. Já disse que sou fã dessa obra anteriormente, e sigo pensando que é uma idéia incrível. A ponte e a reforma no Cais de Pesca vão integrar aquela área ao Centro Histórico, formando inclusive uma paisagem belíssima, distante da imagem de abandono que o Cais de Pesca tinha antes e trazendo turistas para consumir o pescado diretamente do produtor.

A ponte em si é bastante sólida, de forma que a ausência atual de um corrimão não chega a tornar a travessia arriscada. Mas conversando com os comerciantes e moradores da região, logo descubro que há outras preocupações. A primeira – e mais óbvia – é claro, é com a violência. “É preciso iluminar e manter o policiamento aqui na região. De noite, não dá pro turista ficar dando mole por aqui atualmente” me disse um deles. Inclusive, hoje já havia empresários levantando a suspeita de que o assalto ocorrido ontem no Centro Histórico – algo que fazia tempo que não ocorria – possa ter relação com a facilidade de evasão trazida pela nova passagem em grupos de whatsapp da cidade.

A meu ver, o ideal seria um posto permanente da guarda ou da Polícia Militar no local. Além da segurança, outra preocupação dos moradores é com a passagem de bicicletas e motos, que vem acontecendo com frequência. Aliada à falta de corrimão, a passagem de um veículo motorizado, ou até mesmo uma bicicleta pode facilmente causar a queda de um transeunte. Isso poderia ser facilmente resolvido colocando barras que dificultem a passagem de veículos motorizados como foi feito na ponte da chácara – embora isso tenha que ser feito de forma planejada para não dificultar ainda mais a vida de quem já tem dificuldade de locomoção.

A obra ainda está em andamento – ou em testes, como afirmaram algumas pessoas ligadas à prefeitura – mas também é nítida a falta de capricho no acesso à ponte, localizado quase em frente ao Fórum da cidade. Há uma pequena montanha de entulho em sua base – e é impossível para alguém com dificuldades de locomoção, especialmente cadeirantes, utilizarem a passagem no momento. Justo eles que deveriam ser um dos maiores beneficiados pelo encurtamento da distância que a obra traz para quem faz o percurso entre o Centro e o Cais de Pesca.

Volto a dizer, acho a ideia da ponte sensacional, mas considero certas providências, como fiscalização de veículos motorizados, policiamento, corrimão e principalmente iluminação fundamentais para que essa ideia não se torne um mar de problemas. Confira o vídeo de um morador da cidade que se arriscou filmando a travessia de noite, num breu total!

Morador atravessa ponte pedalando
Entulho no acesso à ponte, impedindo completamente quem tem dificuldade de locomoção de utilizar a obra
Não demorou muito para flagrarmos uma turista curtindo o visual da nova área
guidonietmann

guidonietmann

Guido Nietmann é fotógrafo e mora há 7 anos em Paraty. Em parceria com a fotógrafa Roberta Pisco, criou a Fotos Incríveis, empresa especializada que atua com fotografia imobiliária, gastronômica, fotografia aérea, fotografia de produtos e também com ensaios. Apaixonado por Paraty, não se cansa de retratar as belezas da cidade e nutre uma paixão  especial pela Igreja de Santa Rita! Contato e mais informações: www.fotosincriveis.com.br

Deixe aqui sua opinião sobre este assunto!