E como faz o deficiente? O retrato do descaso: após ressaca, ciclovia do Jabaquara que já estava cedendo, cai de vez.

Confira nas imagens de Pedro Hélio Marton a dificuldade que um cadeirante enfrenta para se locomover no Jabaquara. O bairro, que há muito reclama do abandono do poder público pela falta de manutenção e pela boa parte das ruas de terra do bairro, que ficam completamente intransitáveis a maior parte do ano, agora sofre com a a queda de sua ciclovia.

Vale dizer, que no engenhoso projeto de engenharia do bairro, foi feito uma ciclovia, mas não há calçada e muito menos calçadão.  No fim das contas, o espaço da ciclovia já é disputado por pedestres e ciclistas, causando grande risco de acidentes. Agora, os transeuntes não podem nem mais contar com a ciclovia, que já vinha desabando faz tempo neste trecho, localizado no início da avenida da praia.

Este bairro tem grande potencial turístico e deveria receber uma calçada decente para pedestres e cadeirantes, ciclovia, e iluminação noturna na praia. Muitos empregos poderiam ser criados e o potencial econômico do bairro é enorme.

Na foto, uma cadeirante enfrenta grande dificuldade de locomoção devido à ciclovia caída. Foto: Pedro Hélio Marton
Na foto, uma cadeirante enfrenta grande dificuldade de locomoção devido à ciclovia caída. Foto: Pedro Hélio Marton
guidonietmann

guidonietmann

Há 9 anos morando em Paraty, Guido Nietmann é fotógrafo e webmaster. Em parceria com a fotógrafa Roberta Pisco, criou a Fotos Incríveis, empresa especializada em fotografia imobiliária, gastronômica, fotografia aérea, fotografia de produtos e que atua também com ensaios, além de responsável pela criação do Projeto Eu Amo Paraty. Apaixonado por Paraty, não se cansa de retratar as belezas da cidade, e seu cantinho preferido é a praça da Igreja de Santa Rita! Contato e mais informações: www.fotosincriveis.com.br

Comente aqui o que você achou dessa matéria!

%d blogueiros gostam disto: