Líderes sindicais votam pelo fim da greve de 2023 – The Hollywood Reporter

Uma histórica batalha trabalhista em Hollywood poderá terminar em breve.

A greve dos roteiristas de 148 dias, a segunda mais longa na história do Writers Guild of America, termina às 12h01, horário do Pacífico, na quarta-feira, graças a uma votação da liderança do sindicato que autorizou oficialmente 11.500 membros a retornar ao trabalho. Tarefas barradas por meses pelas regras da greve – apresentar propostas, vender roteiros, realizar reuniões, responder a anotações – serão então permitidas, enquanto as salas dos roteiristas poderão se reunir novamente.

“Isso permite que os redatores retornem ao trabalho durante o processo de aprovação, mas não afeta o direito do membro de tomar a decisão final sobre a aprovação do contrato”, disse o comitê de negociação do WGA.

Os estúdios, representados pela Aliança de Produtores de Cinema e Televisão, e o sindicato finalmente anunciaram um novo contrato provisório de três anos no domingo à noite, após um fim de semana completo de trabalho contratado. Depois de quase um mês de negociações paralisadas, o progresso acelerou a partir de 20 de setembro, quando ambos os lados se reuniram com grandes líderes da indústria (Bob Iger da Disney, Ted Sarandos da Netflix, David Zaslau da Warner Bros. Discovery e Donna Langley da NBCUniversal) na sede da AMPTP em Sherman Oaks. Com os principais executivos presentes, os estúdios fizeram mudanças em sua postura em relação a coisas como pessoal mínimo nas salas dos roteiristas de TV e recompensar os roteiristas pelo sucesso dos projetos de streaming. Os termos da inteligência artificial provaram ser um obstáculo, mas os dois lados finalmente chegaram a um acordo na noite de domingo. Numa comunicação aos membros sobre o acordo no domingo, a WGA classificou o acordo resultante como “excepcional”.

READ  Biden e Trump concordam com debates presidenciais em 27 de junho e 10 de setembro

Na terça-feira, o Conselho Oeste da WGA e o Conselho Leste da WGA aprovaram um acordo que estabeleceu uma votação para encerrar a liminar contra as empresas membros da AMPTP.

A notícia põe fim a metade do histórico conflito laboral do entretenimento: a SAG-AFTRA ainda está em greve e nem o sindicato nem a AMPTP anunciaram ainda novas datas de negociação para as partes. Os dois lados permanecem num impasse em questões como aumentos salariais públicos, um plano para reduzir as receitas de assinantes da plataforma quando os projetos de streaming dos membros do sindicato forem bem-sucedidos e regulamentações relacionadas com a inteligência artificial. Mesmo que os escritores retornem ao trabalho, a produção não poderá ser retomada de forma significativa sem os artistas principais.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *