China inicia exercícios militares em torno de Taiwan após visita do presidente dos EUA

Taipé (CNN) A China diz que iniciou três dias de exercícios militares em torno de Taiwan, em um anúncio que veio depois que o presidente da democracia da ilha se reuniu com o presidente da Câmara dos EUA, apesar das repetidas ameaças de Pequim.

O Comando do Teatro Oriental dos militares chineses anunciou os exercícios de sábado, descrevendo-os como “uma séria advertência contra as forças separatistas de Taiwan em conluio com potências externas e uma medida necessária para salvaguardar a soberania nacional e a integridade territorial”.

Apelidados de “United Sharp Sword”, os exercícios “apresentarão patrulhas e exercícios planejados de prontidão de combate dentro e ao redor do Estreito de Taiwan, no norte, sul e leste de Taiwan, no mar e no ar”, disse o coronel sênior Shi Yi. O Comando do Teatro Oriental do Exército Popular de Libertação (PLA) disse em um comunicado no sábado.

Os exercícios se concentrarão nas “capacidades de controle marítimo, aéreo e de informações do país sob os auspícios de nosso Sistema de Guerra Conjunta”, disse o PLA.

Após o anúncio da China, o Ministério da Defesa de Taiwan disse ter avistado um total de 42 aviões de guerra chineses no Estreito de Taiwan, que separa a ilha da China continental. Ele disse que 29 aviões de guerra chineses cruzaram a Linha de Controle no estreito e entraram em sua Zona de Identificação de Defesa Aérea. Acrescentou que oito navios do PLA foram vistos no estreito.

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, reuniu-se com o presidente da Câmara dos EUA, Kevin McCarthy, um dia depois de retornar de uma viagem de 10 dias à América Central e aos Estados Unidos.

READ  Recuperação do corpo de trabalhador da construção civil desaparecido no colapso de uma ponte importante: Comando Combinado

Pequim alertou repetidamente contra a viagem e já ameaçou tomar “medidas fortes e decisivas” se for adiante. A China reivindica a democracia autônoma de Taiwan como parte de seu território e, embora nunca a tenha governado, tentou isolá-la diplomaticamente por décadas. Não descartou o uso da força para colocar a ilha sob seu controle.

Nesta foto divulgada pela Agência de Notícias Xinhua, um piloto da Força Aérea do Comando do Teatro Oriental do Exército de Libertação Popular (PLA) da China participa de exercícios em Taiwan, domingo, 7 de agosto de 2022.

Invasões de aviões de guerra chineses na Zona de Identificação de Defesa Aérea de Taiwan, uma zona tampão autodeclarada além de seu espaço aéreo territorial, ocorrem quase diariamente.

O maior número diário de jatos chineses entrando no ADIZ de Taiwan em um único dia foi de 56 caças em outubro de 2021.

O Ministério da Defesa de Taiwan disse no sábado que estava monitorando de perto a situação e faria todos os esforços para proteger a segurança e a soberania nacional.

“O Exército Popular de Libertação (ELP) está deliberadamente criando tensões no Estreito de Taiwan. Além de prejudicar a paz e a estabilidade, está criando um impacto negativo na segurança e no desenvolvimento regional”, disse o ministério.

Mais cedo no sábado, o ministério disse que responderia aos exercícios de maneira calma, racional e séria e não tentaria escalar o conflito.

A China respondeu de maneira semelhante quando a então presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, visitou Taiwan em agosto, cercando a ilha e lançando mísseis contra ela.

Esses exercícios marcaram a primeira vez que a China disparou mísseis sobre a ilha, e muitos especialistas os consideraram uma grande escalada da ameaça militar da China contra Taiwan.

READ  Grécia não encontra sobreviventes após naufrágio de barco com imigrantes Teme-se que outras centenas estejam desaparecidas

Alguns desses mísseis caíram na zona econômica exclusiva do Japão, perto das ilhas japonesas ao norte de Taiwan, aumentando as tensões entre Pequim e Tóquio.

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, acena ao chegar a um hotel em Nova York, quinta-feira, 30 de março de 2023, um dia antes de voar para a América Central.

Os exercícios de agosto viram dezenas de aviões de guerra chineses entrarem na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan e navios de guerra da PLA se engajarem em manobras nas águas ao redor de Taiwan.

Pequim disse na época que estava simulando um “cerco” aéreo e marítimo da ilha, mas forneceu poucas evidências concretas para apoiar a afirmação.

Autoridades em Taiwan esperam uma reação menos severa ao encontro de Sai com McCarthy, já que ocorreu em solo americano.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *