Telescópio Espacial Hubble descobre o buraco negro supermassivo mais próximo da Terra – uma pista cósmica congelada no tempo

Usando o Telescópio Espacial Hubble, os astrônomos descobriram o maior buraco negro que a Terra já viu, um Titã cósmico “congelado no tempo”.

Um exemplo de um indescritível “buraco negro de massa intermediária”, este objeto poderia servir como um elo perdido na compreensão da conexão entre buracos negros de massa estelar e supermassivos. O buraco negro parece ter cerca de 8.200 sóis, o que é significativamente maior do que os buracos negros de massa estelar, que têm 5 a 100 vezes a massa do Sol, e muito menos massivos do que os apropriadamente chamados buracos negros supermassivos. A massa do Sol varia de milhões a bilhões. O buraco negro de massa estelar mais próximo que os cientistas encontraram chama-se Gaia-BH1, e fica a 1.560 anos-luz de distância.

O recém-descoberto buraco negro de massa intermédia, por outro lado, reside num magnífico aglomerado de cerca de dez milhões de estrelas chamado Omega Centauri, localizado a 18.000 anos-luz da Terra.

(Crédito da imagem: ESA/Hubble/NASA/M.Haberle (MPIA))

Curiosamente, o facto de o buraco negro “congelado” parecer ter atrofiado o seu crescimento apoia a ideia de que Omega Centauri são os restos de uma antiga galáxia que foi canibalizada pela nossa própria galáxia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *