Psicologia Comportamental – Terceira Parte (Parte Final)

“Teoria da Aprendizagem”

O condicionamento operante ou instrumental ocorre quando uma resposta operante é reforçada. As respostas operantes são emitidas quando um organismo deve se adaptar a condições ambientais ou resolver problemas. Por exemplo, quando um animal é colocado numa gaiola, dá respostas tipicamente de fuga (respostas operantes). A resposta que leva à liberdade é reforçada pela fuga, e tende a ser dada toda vez que o animal é re-colocado na gaiola. A maioria das aprendizagens complexas são de tipo operante. O primeiro conceito importante do behaviorismo é o condicionamento operante. Segundo B.F. Skinner, o comportamento é reforçado por suas próprias conseqüências (chamadas reforços). Sempre que o organismo apresentar a necessidade de sobreviver, atender a alguma necessidade ou proteger-se, e o comportamento produzir este resultado, haverá a tendência de repetição desse mesmo comportamento. Este mecanismo de repetição é chamado condicionamento operante. O comportamento que se repete chama-se comportamento operante. Como o comportamento produz efeito desejado, o animal fica condicionado a repeti-lo nas situações de necessidade.
Nossa teoria da aprendizagem é oriunda do Behaviorismo, que é a ciência do comportamento.

Não necessariamente o reforço é uma coisa boa e a punição é uma coisa ruim para o cão. Isto será relativo ao comportamento que esperamos do cão e o que queremos ensinar para ele.
Uma simples “punição” combinada com um “reforçamento positivo” de comportamentos desejáveis é um dos caminhos à seguir para ensinar, educar ou modificar qualquer comportamento do seu cachorro.

Agora entenda um pouco melhor como funcionam as técnicas no processo de aprendizagem para se educar ou se adestrar um cão:

REFORÇO = É tudo que aumenta a frequência de um comportamento, ou seja, é o que nós fazemos para que o cão queira repetir um determinado comportamento.
PUNIÇÃO = É tudo que diminui a frequência de um comportamento, ou seja, é o que nós fazemos para que o cão não queira repetir um determinado comportamento.
POSITIVO = É quando “acrescentamos” algum estímulo no ambiente como consequência de um comportamento.
NEGATIVO = É quando “retiramos” algum estímulo do ambiente como consequência de um comportamento.

“Nosso quadrante do condicionamento = Consequências de um comportamento”.
Todo comportamento que o cão apresenta durante toda sua vida é baseado neste quadrante do condicionamento operante exemplificado e especificado à seguir:

1º. REFORÇO POSITIVO: Acrescentamos algo que é agradável para aumentar a frequência de um determinado comportamento do cão.
Exemplo: No momento que pedimos para o cão sentar e ele SENTA, premiamos ele com um petisco, um brinquedo ou um carinho. O acréscimo do prêmio é o “reforço positivo”.
O cão entende desta forma: Oba! Vou fazer isso de novo para ganhar petiscos, brinquedos ou coisas que eu amo!

2º. REFORÇO NEGATIVO: Retiramos algo que é desagradável para aumentar a frequência de um determinado comportamento do cão.
Exemplo: Com a guia, solicitamos o comando SENTA e o cão não obedece. Puxamos a guia para cima, causando um incômodo. A retirada da pressão na guia assim que ele sentar é o “reforço negativo”.
O cão entende desta forma: Que chato! Estou aliviado que este incômodo parou! Agirei mais rápido da próxima vez!

3º. PUNIÇÃO POSITIVA: Acrescentamos algo que é desagradável para o cão não querer continuar com determinado comportamento.
Exemplos:
1. O cão pula na gente e gritamos o comando NÃO. Gritar o comando NÃO é a “punição positiva”.
2. O cão pula em alguém na rua e damos um tranco para baixo com a guia. O “tranco” na guia é a “punição positiva”.
O cão entende desta forma: Nossa! Que horrível! Eu vou parar com isso! Vou evitar que isso aconteça de novo!

4º. PUNIÇÃO NEGATIVA: Retiramos algo que é agradável para o cão não querer continuar com um determinado comportamento.
Exemplos:
1. O cão pula na gente e nós ignoramos ou nos afastamos dele. A “retirada da atenção” é a “punição negativa”.
2. Pedimos o comando senta, o cão não obedece e não premiamos ele. A “retirada do prêmio” é a “punição negativa”.
O cão entende desta forma: Ah não! Eu realmente queria isso que eu amo! Não farei isso novamente!

Observação: Ambas as técnicas de “punição” levam a aquilo que chamamos de “extinção”, ou seja, o cão para de se comportar de determinada forma.

Os cães obedecem à lei do aprendizado, ou seja, eles fazem apenas o que funciona. Isso significa que se o cão pula nas pessoas, puxa a guia, “rouba” comida de cima da mesa, ataca outros cães ou visitas, ele faz isso porque é vantajoso e funciona muito bem. Ele é de alguma maneira recompensado e treinado para realizar estes comportamentos. Pensando dessa forma, pode-se concluir que treinar um cão significa basicamente “manipular as conseqüências” do que ele faz. Se o cão fizer algo que gostamos, recompensamos o comportamento e ele se repetirá. Se fizer algo que não gostamos, não pode haver recompensas e o comportamento tende a sumir.

Existem, basicamente, dois tipos de coisas que acontecem na vida: boas e ruins. Então, existem quatro tipos de conseqüências:

1) Algo bom começa (reforço positivo)
2) Algo bom termina (punição negativa)
3) Algo ruim começa (punição positiva)
4) Algo ruim termina (reforço negativo)

O cão está constantemente tentando começar as coisas boas e mantê-las. E o inverso também ocorre: terminar coisas ruins e evitar que elas se repitam.
O cão passa a vida experimentando e testando todo ambiente, incluindo os tutores, que se consegue reconhecer isto e explorar esta situação em seu favor, terá total controle do cão, mas infelizmente na maioria deles, isso não acontece!

Pedro Rodarte

Pedro Rodarte

Pedro Rodarte maneja cães profissionalmente desde abril de 2002. Formado como Adestrador de Cães e Cinotécnico, atuou com criadores, adestradores e veterinários no Rio de Janeiro, Alto Paraíso de Goiás, Fortaleza, Brasília, Pirenópolis e Paraty. Pedro atua como Cinotécnico, Adestrador de Cães, Figurante (formador de Cães para o Serviço de Guarda, Tratador de Cães e Passeador de Cães. Atualmente Pedro está à frente da Cãompaixão e atende clientes em todas as regiões de Paraty, também na zona rural e toda a região costeira, oferecendo cursos individuais de capacitação/especialização e formação, e prestando serviços profissionais de educação canina e adestramento de cães.  Para obter mais informações sobre o autor e seu trabalho acesse: https://www.facebook.com/caompaixaoservindoaoscaes/