Pílulas de Poesia: Consumação do Pesar

“Ainda escuto as montanhas
o modo como elas riem
de cima a baixo por seus perfis azuis
e mergulhando na água
os peixes lamentam
e toda a água
é fruto de duas lágrimas.
escuto as águas
nas noites de bebedeira
e a tristeza é tanta que posso
ouvi-la em meu relógio
transforma-se nos puxadores da minha cômoda
transforma-se no papel sobre o chão
transforma-se numa calçadeira
no bilhete da lavanderia
transforma-se
na fumaça do cigarro
escalando uma capela de videiras negras…
pouco importa

um pouquinho só de amor não é tão mal assim
ou um pouquinho só de vida

o que realmente importa
é esperar entre paredes
eu nasci para isso

nasci para arrastar rosas pelas avenidas da morte.”

Charles Bukowski

Bruna Regina

Bruna Regina

Bruna Regina é uma jovem mulher periférica e destemida.  Natural de Goiânia onde iniciou sua vida profissional na área de vendas e paralelamente atuava em pequenos/grandes movimentos e eventos políticos e culturais da cidade. Mudou se para São Paulo aos 21 anos, levando consigo uma mala, quatro caixas e sua feroz paixão por poesia, música e revolução. Em SP de maneira despretensiosa a música e principalmente os discos faziam parte de seu dia-a-dia, desse contato diário surgiu a oportunidade de se aventurar na arte da discotecagem em vinil e desde então corre atrás desse sonho. Caiu de paraquedas na delirante Paraty em novembro de 2018.