Alimentação Ativa

“Enfim chegamos ao último pilar da metodologia de EDUCAÇÃO COM CARINHO dentro da filosofia de vida e serviços da CÃOMPAIXÃO SERVINDO AOS CÃES”

Recapitulando, até aqui falei sobre 3 pilares desta metodologia:

1. Psicologia Canina

2. Psicologia Comportamental

3. Enriquecimento Ambiental

E agora falarei sobre o “quarto pilar” que são as 4 NECESSIDADES BÁSICAS DOS CÃES. Elas precisam ser supridas diariamente para que seu cachorro seja feliz, equilibrado e obediente, independente se ele for um cão de raça pura ou SRD (sem raça definida) e independentemente da idade que ele tenha.

A primeira necessidade básica canina que precisa ser suprida para uma melhor interação, integração e conivência do cão conosco é a ALIMENTAÇÃO ATIVA.

Uma boa alimentação é a base fundamental não apenas para os humanos, mas também para os nossos filhos caninos. Uma das perguntas que mais são feitas pelos tutores de cachorros é sobre qual é a melhor maneira de alimentá-los, a frequência, o tipo de comida etc.
Todavia, neste artigo vou avançar um pouco mais e farei uma pergunta: como você alimenta o seu cachorro, de forma ativa ou passiva?
Isso mesmo, se você não sabia, existem estas duas maneiras de alimentar seus cães. A seguir, vou explicar em que consiste cada uma delas.

Alimentação ativa e passiva

Como regra geral, as pessoas que possuem cachorros em casa alimentam seus animais de estimação de maneira passiva, que consiste em colocar a comida em sua vasilha e permitir que seu cão se alimente no momento em que desejar, sem realizar praticamente nenhum esforço.

Essa é a forma de prover alimento ao cão de maneira passiva, assim, sem mais nada.
A alimentação ativa é geralmente usada com os cachorros que estão no processo de educação, adestramento, em terapia ou que precisam realizar um trabalho específico, como é o caso dos cães de serviço que atuam na polícia.

Nesse tipo de alimentação, o cachorro precisa realizar algum esforço para conseguir seu alimento.
Isso não tem nada de estranho, já que esse seria o tipo de alimentação que ele precisaria para viver em liberdade ou se estivesse na natureza.

Basicamente, o cão deve ganhar sua própria comida, mas não pense que isso é um sofrimento para o cachorro, muito pelo contrário, isso se torna algo desafiador e divertido para ele.
Um dos benefícios obtidos com esse novo estilo de alimentação é que os vínculos entre o cão e o tutor ficam ainda mais fortalecidos.
Se refletirmos um pouco e pensarmos em outros tipos de animais selvagens, como o lobo, que passa a maioria de seu tempo caçando, perseguindo sua presa ou em busca de alimentos, nossos cachorros, que já estão domesticados, apenas precisam pedir comida a seus tutores.

Em que consiste a alimentação ativa?

Talvez você esteja se perguntando em que consiste a alimentação ativa e qual a melhor maneira de colocá-la em prática.
Para isso, você só irá precisar de paciência, um pouco de tempo e “muito amor” por seu filho canino. Porém, posso assegurar que vale a pena pelos menos fazer a tentativa.

A primeira coisa que precisa ser feita é um planejamento sobre onde serão realizadas as atividades (dentro ou fora de casa) e quantas vezes o cachorro será alimentado.
Também é preciso calcular a quantidade de comida que seu cãopanheiro irá receber e dividi-la em várias pequenas porções.

É hora de comer! Dessa forma, é preciso preparar a refeição para que ele seja alimentado depois de realizar os exercícios que foram planejados.
Comece usando palavras que ele já conhece e que apresentem poucas dificuldades, como você aqui, sentar-se, deitar-se, ficar, dar a pata etc. Assim que conseguir que ele obedeça ao comando, dê a porção de ração correspondente. Um exercício muito útil é esconder os grãos de ração ou outro alimento por toda a casa, de tal forma que ele precisará cheirar para procurá-las em diversos lugares. Isso fomentará seu instinto de caçador.
A princípio, comece com apenas um exercício e quando ele tiver terminado, a quantidade de comida que sobrar pode ser colocada em seu comedouro para que o cão se alimente de forma passiva. Na medida em que o tempo for passado, poderá ir ampliando esse processo até eliminar o prato de refeição (comedouro).

Benefícios da alimentação ativa

Se tiver tempo, é aconselhável que seu cachorro se alimente de forma ativa “sempre”, já que isso vai lhe oferecer uma grande quantidade de benefícios.

Como você poderá observar, dessa maneira o seu cachorro não comerá compulsivamente engolindo a comida praticamente sem mastigá-la.

É ainda uma forma de controlar o peso de seu animal de estimação, uma vez que a comida será dividida em várias porções ao longo do dia.

Com esse estilo de alimentação, você conseguirá o objetivo de que seu cão não seja um animal sedentário e entediado, evitando problemas de saúde física e mental.

É uma maneira de economizar dinheiro em prêmios, petiscos, biscoitos, já que a recompensa por seu esforço e trabalho será a própria comida.

Alimentando seu cachorro de maneira ativa, você conseguirá ainda desenvolver uma relação muito especial com ele, reforçando o vínculo entre ambos.

Aos que não conheciam este conceito, depois de ler essa matéria, você se animou de alimentar seu cão de maneira ativa?

Pedro Rodarte

Pedro Rodarte

Pedro Rodarte maneja cães profissionalmente desde abril de 2002. Formado como Adestrador de Cães e Cinotécnico, atuou com criadores, adestradores e veterinários no Rio de Janeiro, Alto Paraíso de Goiás, Fortaleza, Brasília, Pirenópolis e Paraty. Pedro atua como Cinotécnico, Adestrador de Cães, Figurante (formador de Cães para o Serviço de Guarda, Tratador de Cães e Passeador de Cães. Atualmente Pedro está à frente da Cãompaixão e atende clientes em todas as regiões de Paraty, também na zona rural e toda a região costeira, oferecendo cursos individuais de capacitação/especialização e formação, e prestando serviços profissionais de educação canina e adestramento de cães.  Para obter mais informações sobre o autor e seu trabalho acesse: https://www.facebook.com/caompaixaoservindoaoscaes/