1º Encontro Comunicação e Patrimônio Cultural Brasileiro

O Sesc Paraty convida jornalistas, estudantes de Comunicação e comunicadores em geral, para pensar sobre o patrimônio cultural brasileiro.

O 1º Encontro Comunicação e Patrimônio Cultural Brasileiro propõe um debate sobre as formas de promoção das cidades patrimônios brasileiros, pensando em estratégias que dialoguem com as comunidades tradicionais e o Turismo Sustentável. O Brasil tem 17 sítios inscritos na lista do Patrimônio Mundial da Unesco. Paraty é uma cidade que vêm tentando há anos obter esse reconhecimento. De 30 de maio a 2 de junho, jornalistas, estudantes de Comunicação e comunicadores em geral, terão a oportunidade de refletir sobre as ferramentas e as especificidades do conceito patrimônio cultural e formas de divulgação.

PROGRAMAÇÃO

30 de maio, quinta-feira
19h – Sob a mediação do jornalista Ricardo Soares acontece a abertura com a palestra do indigenista e cineasta Vincent Carelli, que criou em 1986, a ONG Vídeo nas Aldeias, que forma cineastas indígenas. Ganhador de vários prêmios, Carelli é o diretor dos documentários que tratam dos quase invisíveis povos originários no Brasil, como O espírito da TV (2010), Martírio (2017) e Corumbiara (2009).

31 de maio – sexta-feira
9h às 12h/ 19h às 22h – Vivência Fotográfica Patrimônio Cultural, com Márcio Vasconcelos.
O fotógrafo profissional tem se dedicado a registrar a Cultura Popular e Religiosa dos afrodescendentes no Maranhão. Vencedor do 1º Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras/2010 (Fundação Cultural Palmares/Petrobras) com o projeto Zeladores de Voduns do Benin ao Maranhão, Márcio Vasconcelos propõe um trabalho de registro das atividades da Festa do Divino de Paraty, reconhecida em 2013, como patrimônio cultural pelo IPHAN.

14h às 17h – Mesa Redonda O que é Patrimônio Cultural Brasileiro – Com a mediação do jornalista Ricardo Soares, o representante do IPHAN, André Bazanella, que trabalhou no Escritório Técnico da Costa Verde do IPHAN (2009-2013) e atualmente é Chefe da Casa do Patrimônio do Vale do Paraíba do IPHAN SP, e os representantes do IBRAM, Pedro Franke, técnico em Assuntos Culturais do Museu Forte Defensor Perpétuo de Paraty, e Henrique Milen, jornalista e técnico do IBRAM em Paraty, irão conversar sobre o que é Patrimônio e Cultura, e como a Imprensa trata esses conceitos em seus espaços midiáticos.

17h – Apresentação da candidatura Paraty: Cultura e Biodiversidade ao Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, com a secretária de Cultura de Paraty, Cristina Maseda, e Jeanne Crespo, representante da Superintendência Estadual do IPHAN Rio de Janeiro.

19h às 21h – DOCs na Sala de Cinema – Capacidade 25 pessoas – Livre
Narrativas Caiçaras (2017) – Episódios Pouso da Cajaíba e Praia do Sono
Índios no Brasil (2000) – Vídeo Nas Aldeias
Índios na TV (2000) – Vídeo nas Aldeias
Cineastas Indígenas (2010) – Vídeo Nas Aldeias
Paraty, Terra de Preto (2019)
Vento Forte (1981)

01 de junho, sábado
9h às 12h – Mesa Redonda Comunicação e as diferentes narrativas – O autor da biografia Belchior – Apenas um rapaz latino-americano, Jotabê Medeiros é editor de Cultura da revista Carta Capital e recebeu homenagem do Iphan, em 2005, pela cobertura na área de patrimônio. A jornalista Renata Machado, entusiasta da etnomídia, é co-fundadora e coordenadora de comunicação da web rádio Yandê. Com a mediação do roteirista Ricardo Soares, os jornalistas debaterão a cobertura sobre povos originários e comunidades na imprensa tradicional.

14h às 17h – Mesa Redonda Comunicação e Cultura Popular – Jornalista com mais de três décadas de experiência nos mais importantes veículos de comunicação do Brasil, Maria Amélia Rocha Lopes fez parte da equipe de criação do programa Metrópolis, foi editora dos programas Vitrine e Manos e Minas, todos da TV Cultura. Atualmente atua na TVT como roteirista e apresentadora do Memória e Contexto e, junto com o jornalista Davi DeTrinda, diretor do longa ‘Trindadeiros, 30 anos depois’, nascido em Paraty e que tem sua atividade fortemente marcada por esse território, debaterão a importância dos meios de Comunicação para mostrar a diversidade cultural do Brasil. O bate papo será mediado pelo editor Ricardo Soares.

19h às 22h – Finalização da Vivência Fotográfica Patrimônio Cultural, com Márcio Vasconcelos.

19h às 21h – DOCs na Sala de Cinema – Capacidade 25 pessoas – Livre
Narrativas Caiçaras (2017) – Episódios Pouso da Cajaíba e Praia do Sono
Índios no Brasil (2000) – Vídeo Nas Aldeias
Índios na TV (2000) – Vídeo nas Aldeias
Cineastas Indígenas (2010) – Vídeo Nas Aldeias
Paraty, Terra de Preto (2019)
Vento Forte (1981)

02 de junho, domingo

11h às 13h30 – Conversa com Ivana Bentes. A Diretora da Escola de Comunicação da UFRJ encerra as mesas de bate papo. Ensaísta, professora, curadora e pesquisadora acadêmica brasileira, atuante na área de comunicação e cultura, com ênfase nas questões relativas ao papel da comunicação, da produção audiovisual e das novas tecnologias na cultura contemporânea. Um momento de reflexão sobre a Comunicação e as novas tecnologias.

14h às 17h – Roda de Conversa Comunicação e Patrimônio Cultural Brasileiro – O que se entende como Comunicação no Brasil? Carro de som, rádio, fanzine, redes sociais ou tv, qual é a melhor forma de divulgar a história de um território? Além da grande experiência como jornalista, escritor, diretor de tv e roteirista, Ricardo Soares foi professor de Graduação de Comunicação da Faculdade Cásper Líbero e da pós-graduação da FAAP, ambos em SP, e mediará esse bate papo público com os participantes do 1º Encontro Comunicação e Patrimônio Cultural Brasileiro.

19h às 21h – DOCs na Sala de Cinema – Capacidade 25 pessoas – Livre
Narrativas Caiçaras (2017) – Episódios Pouso da Cajaíba e Praia do Sono
Índios no Brasil (2000) – Vídeo Nas Aldeias
Índios na TV (2000) – Vídeo nas Aldeias
Cineastas Indígenas (2010) – Vídeo Nas Aldeias
Paraty, Terra de Preto (2019)
Vento Forte (1981)

Atividades Paralelas:

31 de maio, sexta-feira
9h às 12h / 14h às 17h – Oficina Educação Patrimonial: Como contar a nossa história?

Essas oficinas pretendem debater com professores e alunos da rede pública, as possibilidades da construção da memória de um território por meio do uso de diversas linguagens. A analista do IPHAN, Maryclea Carmona Maués Neves, é mestre em Artes pelo Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Ciências da Arte da Universidade Federal do Pará (2011), e trabalha na Superintendência de São Paulo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN desenvolvendo atividades de assistência de gabinete e educação patrimonial.

Serviço:
Inscrições abertas para o 1º Encontro Comunicação e Patrimônio Cultural Brasileiro – 30 de maio a 2 de junho de 2019, na Unidade Sesc Santa Rita (rua Dona Geralda, 15, Centro Histórico, Paraty, RJ)

As inscrições para oficinas e cursos podem ser feitas presencialmente na Unidade Sesc Santa Rita (Rua Dona Geralda, 15, Centro Histórico) ou pelo e-mail [email protected]

Dias 30 de maio a 2 de junho – Mesas e roda de conversa 1º Encontro Comunicação e Patrimônio Cultural Brasileiro – 50 vagas

Dia 31 de maio 9h às 12h/ 19h às 22h e 1 de junho, 19h às 22h – Vivência Fotográfica Patrimônio Cultural, com Márcio Vasconcelos – 25 vagas, enviar carta de intenções e portifolio

Todas as atividades são gratuitas

Mais informações pelos números dos telefones: (24) 3371-4516 / 3371-8415

guidonietmann

guidonietmann

Guido Nietmann é fotógrafo e mora há 7 anos em Paraty. Em parceria com a fotógrafa Roberta Pisco, criou a Fotos Incríveis, empresa especializada que atua com fotografia imobiliária, gastronômica, fotografia aérea, fotografia de produtos e também com ensaios. Apaixonado por Paraty, não se cansa de retratar as belezas da cidade e nutre uma paixão  especial pela Igreja de Santa Rita! Contato e mais informações: www.fotosincriveis.com.br

Deixe aqui sua opinião sobre este assunto!